Trilha Dos Tropeiros

Possibilitar que as pessoas conheçam e possam percorrer o mesmo trajeto por onde passavam os tropeiros que transportavam gado e mantimentos do planalto para o litoral catarinense no século passado. É este o objetivo de um grupo de amigos que com o apoio do CTG Serra do Rio do Rastro e da Prefeitura Municipal de Lauro Müller, após um mês de trabalho aos finais de semana, reabriu a Trilha dos Tropeiros. O caminho foi a primeira rota de comércio aberta pelos antigos tropeiros nas encostas da Serra do Rio do Rastro.

Com muita disposição e munidos de foices, facões e outros equipamentos eles concluíram o trabalho neste sábado (19), deixando limpa a picada para que aqueles que desejarem possam se aventurar em caminhadas no local e até cavalgadas.

Abandonada, depois que foi aberta a atual estrada da serra, a Trilha dos Tropeiros como é conhecida, fica localizada em Cabo Aéreo, localidade do interior do município de Lauro Müller que recebeu este nome, porque ali foi instalado pelos madeireiros um equipamento que continha um cabo de aço de 1.200 metros, por onde desciam toras de madeira do alto da serra, além de mantimentos, animais e até pessoas. O equipamento funcionou até 30 de novembro de 1962. Com a construção da estrada estadual da Serra do Rio do Rastro, o Cabo Aéreo foi desativado.

São cerca de seis horas de caminhada em meio a Mata Atlântica nativa, em um percurso de aproximadamente 8 km, atingindo uma altitude de 1.412 metros acima do nível do mar, onde muitos riachos e cachoeiras naturais refrescam o calor durante a trilha.

“Além de resgatar este pedaço da nossa história, queremos fazer da trilha um atrativo turístico de Lauro Müller. As pessoas precisam conhecer esta beleza que está escondida no meio da mata. Para quem gosta de se aventurar em trilhas ecológicas, esta aqui é uma das mais belas do mundo, com toda certeza. Esperamos que a prefeitura possa desenvolver algum projeto e assim manter a trilha em condições de receber os turistas”, comenta Dilvo Proinelli, um dos responsáveis pela abertura da trilha.

Ainda conforme Proinelli, devido ao período chuvoso o local está úmido e escorregadio. “Tivemos bastante trabalho, mas valeu a pena. Para caminhadas já é possível percorrer a trilha, porém a cavalo ainda é perigoso, pois devido a umidade o terreno está escorregadio. Pretendemos fazer a primeira cavalgada para inaugurar o picadão dos tropeiros no mês de setembro, quando se comemora a Semana Farroupilha”, registra.

Caminhada

Em agosto de 2010 o mesmo grupo já havia percorrido o trajeto para fazer o reconhecimento do terreno e estudar a real possibilidade de reabrir a trilha. Na época o guia da caminhada também foi Dilvo Proinelli. Ele revela que durante a trilha, de complexidade média/alta, é possível observar diversas espécies da fauna e da flora. “É comum encontrar pelo caminho quatis, inhambus e outros animais e pássaros silvestres, sem contar a diversidade de plantas”, registra, acrescentando que é uma caminhada cansativa, mas compensada belas belezas escondidas na mata fechada.

Trace sua rota até lá

Trilha começa em Nova Veneza termina em Bom Jardim, reserva biológica estadual do Aguai, Santa Catarina, Brasil
Trilha começa em Nova Veneza termina em Bom Jardim, reserva biológica  estadual do Aguai, Santa Catarina, Brasil

Essa página foi últil para você?

(nenhuma avaliação)

Compartilhe

Deixe seu comentário

  • Pedro Carvana

    Pedro Carvana

    Olá William ! Tenho interesse em saber como vocês fizeram a pesquisa para resgatar o traçado original da trilha. Ele já era bem conhecido ou você tiveram que fazer alguma pesquisa ?

XFECHAR
Top
Willian Peruchi
Tem dúvida?