Tô com medo dessa trilha, amiga

— Amiga, será que eu vou conseguir? Me falaram que a trilha é pesada, acho que não tô preparada ainda. Vamos adiar pra outro dia?

— Tá maluca, amiga? A gente já tá chegando!

— Acho que tô com medo. Não sei onde eu tava com a cabeça quando aceitei ir.

— Deixa de ser chata, amiga. Eu faço isso toda semana. Você vai gostar, eu juro!

— Tá bom. Mas vai devagar, tá? Meu joelho tá dolorido.

— Tudo bem, não se preocupe. Amiga, aquele ali na guarita é o guarda, dá bom dia pra ele.

— Bom dia, guarda! Quanto tempo não te vejo! Tava de férias?

— Não exagera, amiga!

— Nossa, vai ser o tempo todo subindo assim?

— Não, é só o começo que é um pouco íngreme. Depois fica mais tranquilo.

— Amiga, escutou isso?

— O quê?

— Não sei, o mato se mexeu. Acho que tem um bicho ali.

— É o vento, amiga. Para de bobeira.

— Não tá nem ventando aqui. Eu acho que é um bicho, hein?! E parece bem grande, porque o mato se mexeu forte e fez um barulho, tipo alguma coisa se rastejando, sabe?

— Ah amiga, deve ter sido uma cobra então.

— Quê?

— Amiga, aonde você vai? Você não estava com dores no joelho? Você tá bem? Bebe um pouco d'água. Já vamos chegar na cachoeira.

— Para de me chamar de amiga! Eu nunca mais vou fazer trilha na minha vida. Só não volto pra casa agora porque não sei nem onde eu tô!

— Amiga, relaxa. Eu também falei isso na primeira vez que fiz trilha, mas depois eu gostei e você também vai gostar.

— Sua doida, meu celular nem pega aqui. E se acontecer alguma coisa comigo?

— Calma, o guia tá aqui pra isso.

— Tô cansada, preciso parar um pouco.

— Tá, vamos descansar e depois a gente continua.

— Amiga, tá escutando o barulho da cachoeira?

— Tô sim!

— Tá perto?

— É logo depois daquela curva.

— Até que enfim, amiga. Meu joelho agradece. Vamos lá então!

— Vamos!

— Noooossa, que cachu é essa amiga?? Tira uma foto minha!

— Amiga, cuidado com o mato, pode ter cobra.

— Não tem não, amiga... a cobra ficou lá atrás. É rapidinho.

— Tá bom, vai lá.

— Nossa, amiga... que lugar lindo!

— Muito bom, né?

— Por que você não me trouxe aqui antes? Eu sinto que pertenço a esse lugar, sabe? Me sinto bem aqui.

— É assim mesmo, amiga. Eu falei que você ía gostar.

Essa página foi últil para você?

(nenhuma avaliação)

Compartilhe