Melhores alimentos para levar na trilha

Estar fisicamente preparado, comer bem e ter bastante disposição. Para fazer uma trilha, é preciso estar atento a tudo que diz respeito ao corpo, em especial à alimentação. Na hora de planejar uma trilha, seja de curta, média ou longa duração, é preciso levar a quantidade adequada de comida.

Para tanto, veja quanto tempo de percurso, quantas refeições serão feitas durante o trajeto, e o peso das embalagens. Lembre-se de levar uma quantia extra para emergências ou imprevistos, além de escolher os melhores alimentos para levar na trilha. Você sabe quais são eles?

Escolha os melhores alimentos para sua trilha

Na hora de escolher os melhores alimentos para levar na trilha, podemos começar pensando no que não levar. Comidas perecíveis estragam em poucas horas, alimentos que precisam de preparação devem ser evitados, assim como aqueles pesados demais e de baixo valor nutricional.

Uma dica importante é levar alimentos que fazem parte da rotina alimentar. Afinal, você não quer ter uma surpresa desagradável e passar mal durante sua aventura.

Tendo isso em mente, você escolherá os melhores alimentos para levar na trilha de acordo com o tipo de caminhada que será feito.

Trilhas curtas

As trilhas curtas têm duração máxima de um dia. Isso significa que não é preciso tanta comida. Alguns lanches bastam para saciar a bem a fome sem pesar no estômago, como:

  • Sanduíches: opte por recheios que não sejam perecíveis (evite derivados de leite, molhos e outros ingredientes que podem estragar), como pasta de amendoim e geleia;
  • Frutas secas: alimentos desidratados são práticos, ocupam pouco espaço na mochila, oferecem benefícios à saúde, têm valor nutricional e podem ser ingeridos durante a caminhada;
  • Frutas frescas: ótimas opções de comida leve, especialmente a banana, que previne cãibras. Cuidado com a maçã, que dá a sensação de fome após comê-la;
  • Oleaginosas: castanhas, nozes e amendoim são oleaginosas muito indicadas na prática de exercícios, pois dão disposição;
  • Biscoito, de preferência integral: carboidrato fácil e leve;
  • Barras de cereais: comida leve que pode ser ingerida durante a caminhada;
  • Chocolate: traz disposição, energia e alegria. Mas com moderação, especialmente no calor;
  • Água: em qualquer situação.

Trilhas longas

Os melhores alimentos para levar em trilhas longas, que incluem pernoite ou duram vários dias, são um pouco diferentes daqueles indicados para trilhas curtas. Isso porque é preciso pensar no valor nutricional de cada refeição. A indicação básica é que ela seja composta majoritariamente por carboidratos (entre 60 e 70%), além de 20% de gorduras e 10% de proteínas.

Carboidratos

Macarrão instantâneo complementado com carnes desidratadas e castanhas, biscoitos, pães integrais, barra de cereal esportiva e outros alimentos são ricos em carboidratos. Eles são a base de todas as refeições, pois são responsáveis pela energia do organismo, auxiliando na recuperação e evitando a fadiga muscular.

Durante uma caminhada exaustiva, os géis especiais para atletas ou as frutas são boas opções de carboidrato, pois ajudam no desempenho do praticante. Já na última refeição do dia, é importante ingerir mais carboidrato para garantir energia e calor para o corpo durante o sono.

Os doces, por terem alto índice glicêmico (ricos em açúcar), devem ser consumidos com ressalvas, porque podem causar gases e desconforto abdominal. Então nada de abusar do chocolate.

Gorduras

Complementares aos carboidratos no fornecimento de energia, os alimentos que possuem boas fontes de gordura são obrigatórios na hora de fazer trilha. É preciso ter atenção ao peso da mochila, porque você a carregará por longas horas. Por isso, prefira os alimentos de fácil transporte e leves, como as oleaginosas, azeitona, linhaça, chia, semente de girassol.

Um alimento rico em gordura é o abacate e o azeite de oliva extravirgem, mas é preciso ter mais cuidado na hora de transportá-los.

Proteínas

Fechando a equação do balanço nutricional, os melhores alimentos para levar na trilha devem incluir proteínas. Um trekking, que possui intensidade moderada/alta ou longa duração, demanda muita energia (carboidrato). Mas o praticante deve conseguir recuperar-se bem após os exercícios (reparação dos tecidos), o que é função das proteínas.

Ao serem consumidas juntamente com os carboidratos, as proteínas repõem as reservas de energia e são melhor absorvidas pelo corpo.

O consumo deve incluir proteínas do tipo animal (sardinha, atum em lata), que são boas fontes de aminoácidos essenciais, e aquelas do tipo vegetal, na combinação de cereais e leguminosas (o famoso arroz e feijão).

Água

De nada adianta saber os melhores alimentos para levar na trilha se você esquecer de levar água. Nunca, jamais, em nenhuma hipótese faça uma trilha sem água. Ela é indispensável para qualquer percurso de trekking, desde os mais curtos e simples até os mais longos.

Independentemente da intensidade do exercício, não se pode exceder 800 ml de líquido por hora, já que é a quantidade aproximada que o estômago consegue absorver. Quando ultrapassamos esse limite, podemos experimentar consequências desagradáveis.

Não espere, também, sentir sede para se hidratar, pois a sede já é um sinal de desidratação, algo que pode ser desastroso em uma trilha. Além disso, a água pode servir para preparar um soro caseiro em caso de emergência, especialmente em problemas intestinais.

Os melhores alimentos para levar na trilha, seja ela qual for, são leves, possuem alto valor nutricional e ocupam pouco espaço na mochila. Para escolher, lembre-se de considerar todas as dicas que demos no texto.

Planeje sua alimentação com base no percurso e na duração da trilha, não deixe lixo espalhado em local inadequado, prepare sua câmera ou celular para boas fotos e boa aventura!

Essa página foi últil para você?

(1 avaliação)

Compartilhe

Deixe seu comentário

XFECHAR
Top
Trilhando Montanhas
Tem dúvida?